“Não se pode falar do oceano para um sapo do brejo — criatura de uma esfera mais acanhada. Não se pode falar de um estado isento de pensamento para um pedagogo; sua visão é demasiado restrita”. — Chuang Tzu

A espiritualidade e o ego

Infinito é o processo de ilusões através do qual o ser humano mantém seu ego vivo. Ele se desenvolve nele de forma sutil na natureza e refinada na qualidade, chegando mesmo a se elevar do plano material para o espiritual. Mas sua capacidade de enganar básica permanece a mesma.

A estrutura dos interesses, apegos, tendências e emoções egocêntricas preenchem a consciência tanto do ser humano ainda na obscuridade como a dos aspirantes espirituais. Neste segundo caso, ela será ou ampliada ao incluir crenças e dogmas religiosos, experiências e sentimentos místico-religiosos, ou diminuída através de realizações ascéticas e noções fanáticas.

Quão facilmente o ego pode se mascarar através de um falso altruísmo ou se ocultar por trás de pronunciamentos elevados! Quão rapidamente pode explorar os outros para a sua própria vantagem! Quão insidiosamente poderá levar uma aspiração genuína a desvios ou, pior, a armadilhas!

Através de eventos inesperados e de experiências involuntárias somos em parte expostos, mostrando-nos o que sempre fomos mas que não sabíamos até então. Contudo, o poder e astúcia do ego é tal que ele mesmo nunca se expõe – o verdadeiro malfeitor – e nos mantém na ignorância sobre a verdadeira causa de nossos problemas. Assim, nos manterá preocupados com pensamentos espiritualmente elevados e nos fará sentir presunçosamente que estamos fazendo progresso, mas não nos permitirá perceber e eliminar o verdadeiro inimigo – ele mesmo!

Astutamente ele se ajusta a cada estágio de nosso crescimento espiritual, permanecendo assim em todas as nossas relações e atividades.

No próprio ato de louvar a Deus ou ao Espírito, o ego louvará a si mesmo – tal é a astuciosa duplicidade através da qual nos faz pensar que estamos sendo espirituais ou nos tornando mais piedosos!

Será prudente, de nossa parte, que suspeitemos da presença do ego mesmo nas maiores aspirações, reflexões e experiências espirituais.

Quando pressionado a defender a si mesmo e justificar suas posturas, o ego as racionalizará falando de nossa ‘necessidade evolutiva’ ou da nossa ‘tarefa histórica e missão superior’. Tudo isso será uma construção mental fraudulenta e não uma orientação genuinamente intuitiva. O aspirante que caia vítima de suas próprias desculpas mentais fictícias ou especulações, imaginações e álibis, cairá vítima das maquinações do ego. Desta maneira, em vez de acusá-lo por ser a verdadeira fonte de seus problemas, ele o apoiará tolamente e, em vão, encobrirá seus erros.

O ego estará ao seu lado esperando sutilmente enganá-lo para que venha a tomar decisões erradas e realize falsas interpretações, preservando assim sua vida ao obstruir seu crescimento no caminho da verdade.

É esperado que o ego proteja a si mesmo, mesmo que tenha que se envolver numa busca espiritual que, a princípio, teria o propósito de eliminá-lo.

Ele estará aqui, sempre presente e trabalhando mesmo onde supostamente deveria estar ausente. Insinuar-se-á até mesmo no seu trabalho ou aspiração espirituais, de forma que o aspirante tomará dos ensinamentos aquilo que se adequar ao seus próprios fins pessoais, e ignorará o resto, ou tomará somente aquilo que se adequar ao seu conforto pessoal, e será contrário ao resto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Quando você compreende, quando chega a saber,
então traz toda a beleza do passado de volta
e dá a esse passado o renascimento, renova-o,
de forma que todos os que o conheceram
possam estar de novo sobre a terra
e viajar por aqui, e ajudar as pessoas." (Tilopa)



"Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso." (11º Passo de NA)


"O Eu Superior pode usar algum evento, alguma pessoa ou algum livro como seu mensageiro. Pode fazer qualquer circunstância nova agir da mesma forma, mas o indivíduo deve ter a capacidade de reconhecer o que está acontecendo e ter a disposição para receber a mensagem". (Paul Brunton)



Observe Krishnamurti, em conversa com David Bohn, apontando para um "processo", um "caminho de transformação", descrevendo suas etapas até o estado de prontificação e a necessária base emocional para a manifestação da Visão Intuitiva, ou como dizemos no paradigma, a Retomada da Perene Consciência Amorosa Integrativa...


Krishnamurti: Estávamos discutindo o que significa para o cérebro não ter movimento. Quando um ser humano ESTEVE SEGUINDO O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO, e PASSOU por TUDO isso, e esse SENTIDO DE VAZIO, SILÊNCIO E ENERGIA, ele ABANDONOU QUASE TUDO e CHEGOU AO PONTO, à BASE. Como, então, essa VISÃO INTUITIVA afeta a sua vida diária? Qual é o seu relacionamento com a sociedade? Como ele age em relação à guerra, e ao mundo todo — um mundo em que está realmente vivendo e lutando na escuridão? Qual a sua ação? Eu diria, como concordamos no outro dia, que ele é o não-movimento.

David Bohn: Sim, dissemos que a base era movimento SEM DIVISÃO.

K: Sem divisão. Sim, correto. (Capítulo 8 do livro, A ELIMINAÇÃO DO TEMPO PSICOLÓGICO)


A IMPORTÂNCIA DA RENDIÇÃO DIANTE DA MENTE ADQUIRIDA
Até praticar a rendição, a dimensão espiritual de você é algo sobre o que você lê, de que fala, com que fica entusiasmado, tema para escrita de livros, motivo de pensamento, algo em que acredita... ou não, seja qual for o caso. Não faz diferença. Só quando você se render é que a dimensão espiritual se tornará uma realidade viva na sua vida. Quando o fizer, a energia que você emana e que então governa a sua vida é de uma frequência vibratória muito superior à da energia mental que ainda comanda o nosso mundo. Através da rendição, a energia espiritual entra neste mundo. Não gera sofrimento para você, para os outros seres humanos, nem para qualquer forma de vida no planeta. (Eckhart Tolle em , A Prática do Poder do Agora, pág. 118)