“Não se pode falar do oceano para um sapo do brejo — criatura de uma esfera mais acanhada. Não se pode falar de um estado isento de pensamento para um pedagogo; sua visão é demasiado restrita”. — Chuang Tzu

Algumas forças hostis no início do processo

O primeiro elemento hostil que você vai enfrentar surgirá se você falar sobre seus estudos e seu objetivo a pessoas indiferentes. Elas poderão tentar ridicularizá-lo de modo a abalar sua decisão e persistência... A maioria dos homens comuns, ou seja, não desenvolvidos, não gosta de ver alguém avançar e obter uma condição superior à sua. Infelizmente, esse tipo de ciúme feio e sem sentido floresce entre nós com muita frequência, e as forças hostis tiram plena vantagem de seu uso. [...] Ele não deve discutir com outros os seus empreendimentos espirituais íntimos, exceto com os que estejam engajados como ele numa busca semelhante ou que saibam mais sobre o Caminho do que ele. Os homens serão sempre hostis a qualquer coisa que não possam entender em outras pessoas, particularmente se for um "estudo misterioso", uma Ioga, etc. Eles tentarão depreciar aquilo que sentem estar além do seu alcance. O aspirante sábio levará isso em consideração e agirá de acordo. Não há outra escolha. Você não pode mudar o mundo, mas pode e deve mudar a si mesmo.

O próximo tipo de obstáculos pode vir de seu passado ainda não reparado. Quando nos engajamos num estudo como este, estamos na realidade desafiando nossos erros e débitos passados que ainda precisam ser retificados e pagos. 

Talvez seja interessante saber, mesmo de modo aproximado, que formas a oposição poderá tomar. Sua resistência poderá se manifestar de diversas maneiras. Naturalmente, é impossível mencioná-las todas por causa de sua imensa variedade. Mas, no geral, podem ser mencionadas as seguintes:

a) Condições familiares que, nos primeiros anos, impedem que tenha o recolhimento necessário para a meditação, e falta de meios para criar melhores condições. 

b) Saúde fraca, que não permite um maior esforço mental, inevitável nos esforços para praticar a meditação. 

c) Atividades profissionais excessivas, nas quais as influências do mundo exterior não concedem tempo suficiente para os exercícios ou para a meditação, e nas quais a pessoa fica tão cansada após um dia de trabalho que não pode realizar qualquer tarefa adicional. 

d) resistência direta do ambiente imediato, como parentes, amigos, etc. 

Tudo isso pode e deve ser superado. Boa vontade suficiente, firme determinação em fazer o que foi reconhecido como o único objetivo válido de sua vida e manipulação inteligente das circunstâncias. 

[...] Há outras forças que podem se opor a seus esforços no primeiro plano: trata-se das correntes astrais involutivas. Você pode ser assaltado por explosões de emoções e sentimentos que vêm à sua consciência e tentam ocupá-la para os seus próprios propósitos. Elas poderão literalmente tentá-lo de modo a atrair sua atenção, que é a força da vida para elas, assim como para os obstáculos seguintes, os de origem mental. 

Os pensamentos podem começar a atormentar seu cérebro, cada um aparentemente mais urgente e "importante"que o outro, não permitindo que você encontre o silêncio interior necessário para uma meditação bem feita.

[...] No início, alguns aspirantes ao Caminho sofrem ataques extremamente intensos por parte das correntes mencionadas acima, que lhe trazem emoções impuras de grande força e enormes quantidades de pensamentos inquietos num fluxo aparentemente sem fim. As únicas armas reais contras esses obstáculos são: 

1) Persistência e uma vontade forte para perseverar em seus esforços;
2) profundo entendimento da justiça e seus esforços;
3) procura da assistência das forças do "bem"

Mouni Sadhu

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Quando você compreende, quando chega a saber,
então traz toda a beleza do passado de volta
e dá a esse passado o renascimento, renova-o,
de forma que todos os que o conheceram
possam estar de novo sobre a terra
e viajar por aqui, e ajudar as pessoas." (Tilopa)



"Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso." (11º Passo de NA)


"O Eu Superior pode usar algum evento, alguma pessoa ou algum livro como seu mensageiro. Pode fazer qualquer circunstância nova agir da mesma forma, mas o indivíduo deve ter a capacidade de reconhecer o que está acontecendo e ter a disposição para receber a mensagem". (Paul Brunton)



Observe Krishnamurti, em conversa com David Bohn, apontando para um "processo", um "caminho de transformação", descrevendo suas etapas até o estado de prontificação e a necessária base emocional para a manifestação da Visão Intuitiva, ou como dizemos no paradigma, a Retomada da Perene Consciência Amorosa Integrativa...


Krishnamurti: Estávamos discutindo o que significa para o cérebro não ter movimento. Quando um ser humano ESTEVE SEGUINDO O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO, e PASSOU por TUDO isso, e esse SENTIDO DE VAZIO, SILÊNCIO E ENERGIA, ele ABANDONOU QUASE TUDO e CHEGOU AO PONTO, à BASE. Como, então, essa VISÃO INTUITIVA afeta a sua vida diária? Qual é o seu relacionamento com a sociedade? Como ele age em relação à guerra, e ao mundo todo — um mundo em que está realmente vivendo e lutando na escuridão? Qual a sua ação? Eu diria, como concordamos no outro dia, que ele é o não-movimento.

David Bohn: Sim, dissemos que a base era movimento SEM DIVISÃO.

K: Sem divisão. Sim, correto. (Capítulo 8 do livro, A ELIMINAÇÃO DO TEMPO PSICOLÓGICO)


A IMPORTÂNCIA DA RENDIÇÃO DIANTE DA MENTE ADQUIRIDA
Até praticar a rendição, a dimensão espiritual de você é algo sobre o que você lê, de que fala, com que fica entusiasmado, tema para escrita de livros, motivo de pensamento, algo em que acredita... ou não, seja qual for o caso. Não faz diferença. Só quando você se render é que a dimensão espiritual se tornará uma realidade viva na sua vida. Quando o fizer, a energia que você emana e que então governa a sua vida é de uma frequência vibratória muito superior à da energia mental que ainda comanda o nosso mundo. Através da rendição, a energia espiritual entra neste mundo. Não gera sofrimento para você, para os outros seres humanos, nem para qualquer forma de vida no planeta. (Eckhart Tolle em , A Prática do Poder do Agora, pág. 118)