“Não se pode falar do oceano para um sapo do brejo — criatura de uma esfera mais acanhada. Não se pode falar de um estado isento de pensamento para um pedagogo; sua visão é demasiado restrita”. — Chuang Tzu

Posso viver sem um único problema pelo resto da vida?

KRISHNAMURTI: Cultivamos uma mente que pode resolver quase todo problema tecnológico. Mas aparentemente, os problemas humanos nunca foram solucionados. Os seres humanos estão dominados pelos seus problemas: os problemas da comunicação, do conhecimento, dos relacionamentos, os problemas do céu e do inferno; toda a existência humana transformou-se num vasto e complexo problema. E aparentemente tem sido assim, através da história. Apesar do seu conhecimento, apesar dos seus séculos de evolução, o homem nunca esteve livre de problemas.

DAVID BOHM: Sim, de problemas insolúveis.

K: Coloco em dúvida se os problemas humanos são insolúveis. 

DB: Quero dizer, da maneira como são colocados agora.

K: Do modo como se apresentam agora, naturalmente, esses problemas se tornaram incrivelmente complexos e insolúveis. Nenhum político, cientista ou filosofo vai resolvê-los, nem mesmo através de guerras e assim por diante! Por que então os seres humanos em todo o mundo não foram capazes de resolver os problemas diários da vida? Quais são as coisas que impedem a solução completa desses problemas? Será por que nunca voltamos nossas mentes para isso? Será por que passamos todos os nossos dias, e provavelmente metade da noite, pensando a respeito de problemas tecnológicos, de modo que não temos tempo para o outro tipo de problema?

DB: É parcialmente assim. Muitas pessoas acham que o outro tipo deveria cuidar de si próprio.

K: Mas por quê? Estou perguntando neste diálogo se será possível não termos absolutamente problemas humanos — apenas problemas tecnológicos, que podem ser solucionados. Mas os problemas humanos parecem insolúveis. Será por causa da nossa educação, das nossas tradições profundamente enraizadas, que aceitamos as coisas como elas são?

DB: Bem, isso é certamente parte da coisa. Esses problemas se acumulam à medida que a civilização envelhece, e as pessoas continuam a aceitar coisas que criam problemas. Por exemplo, há hoje muito mais nações no mundo do que antigamente, e cada uma cria novos problemas.

K: Naturalmente.

DB: Se voltarmos no tempo...

K: ...uma tribo se torna uma nação...

DB: E então o grupo deve lutar com seu vizinho.

K: Os homens usam essa tecnologia maravilhosa para se matarem uns aos outros. Mas estamos falando a respeito de problemas de relacionamento, problemas de falta de liberdade, dessa sensação de incerteza e medo constantes, do esforço de trabalhar para sua subsistência, pelo resto da vida. A coisa toda parece tão extraordinariamente errada.

DB: Penso que as pessoas perderam isso de vista. Falando de um modo geral, elas aceitam a situação na qual se encontram, procuram tirar o melhor partido dela, tentando solucionar alguns pequenos problemas para aliviar as circunstâncias. Elas nem mesmo encarariam seriamente toda essa situação.

K: As pessoas religiosas, porém, criaram um tremendo problema para o homem.

DB: Sim. Também estão tentando resolver problemas. Quero dizer que todo mundo está preso dentro de seu pequeno fragmento individual, solucionando o que acham que podem resolver, mas tudo isso termina no caos.

K: No caos e nas guerras! É isso que estamos dizendo. Vivemos no caos. Mas quero descobrir se posso viver sem um único problema o resto da minha vida. Isso é possível?

Jiddu Krishnamurti e David Bohm em, A Eliminação do Tempo Psicológico

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Quando você compreende, quando chega a saber,
então traz toda a beleza do passado de volta
e dá a esse passado o renascimento, renova-o,
de forma que todos os que o conheceram
possam estar de novo sobre a terra
e viajar por aqui, e ajudar as pessoas." (Tilopa)



"Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso." (11º Passo de NA)


"O Eu Superior pode usar algum evento, alguma pessoa ou algum livro como seu mensageiro. Pode fazer qualquer circunstância nova agir da mesma forma, mas o indivíduo deve ter a capacidade de reconhecer o que está acontecendo e ter a disposição para receber a mensagem". (Paul Brunton)



Observe Krishnamurti, em conversa com David Bohn, apontando para um "processo", um "caminho de transformação", descrevendo suas etapas até o estado de prontificação e a necessária base emocional para a manifestação da Visão Intuitiva, ou como dizemos no paradigma, a Retomada da Perene Consciência Amorosa Integrativa...


Krishnamurti: Estávamos discutindo o que significa para o cérebro não ter movimento. Quando um ser humano ESTEVE SEGUINDO O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO, e PASSOU por TUDO isso, e esse SENTIDO DE VAZIO, SILÊNCIO E ENERGIA, ele ABANDONOU QUASE TUDO e CHEGOU AO PONTO, à BASE. Como, então, essa VISÃO INTUITIVA afeta a sua vida diária? Qual é o seu relacionamento com a sociedade? Como ele age em relação à guerra, e ao mundo todo — um mundo em que está realmente vivendo e lutando na escuridão? Qual a sua ação? Eu diria, como concordamos no outro dia, que ele é o não-movimento.

David Bohn: Sim, dissemos que a base era movimento SEM DIVISÃO.

K: Sem divisão. Sim, correto. (Capítulo 8 do livro, A ELIMINAÇÃO DO TEMPO PSICOLÓGICO)


A IMPORTÂNCIA DA RENDIÇÃO DIANTE DA MENTE ADQUIRIDA
Até praticar a rendição, a dimensão espiritual de você é algo sobre o que você lê, de que fala, com que fica entusiasmado, tema para escrita de livros, motivo de pensamento, algo em que acredita... ou não, seja qual for o caso. Não faz diferença. Só quando você se render é que a dimensão espiritual se tornará uma realidade viva na sua vida. Quando o fizer, a energia que você emana e que então governa a sua vida é de uma frequência vibratória muito superior à da energia mental que ainda comanda o nosso mundo. Através da rendição, a energia espiritual entra neste mundo. Não gera sofrimento para você, para os outros seres humanos, nem para qualquer forma de vida no planeta. (Eckhart Tolle em , A Prática do Poder do Agora, pág. 118)