“Não se pode falar do oceano para um sapo do brejo — criatura de uma esfera mais acanhada. Não se pode falar de um estado isento de pensamento para um pedagogo; sua visão é demasiado restrita”. — Chuang Tzu

Sobre seres intraterrenos e UFOs


A terra é oca? Existe uma civilização avançada lá? Há um sol no centro? Esses seres fazem jornadas periódicas através de túneis a lugares específicos e revelam os segredos? É daí que os UFOs vêm?

Will Schutz, a mente vive de ficções, ela é nutrida por ficções — comuns ou ocultas. A mente sempre anseia por belas histórias; ela vive através de mentiras. A mente teme a verdade, mas é uma grande amante das mentiras. Para satisfazer a mente, através dos tempos milhares de mentiras foram inventadas. Quando uma mentira fica muito velha e enferrujada, ela é abandonada e uma nova é inventada. Suas chamadas escrituras estão repletas destas mentiras. O ser humano é muito inventivo, mas todas as invenções deste tipo  o impedem de perceber a verdade e sua energia fica envolvida numa dimensão fútil

Você me pergunta: "A Terra é oca?"

Mesmo se ela for, não importa. Por que se preocupar com isso? Por que perder tempo com isso? Existem coisas muito mais importantes esperando para ser feitas. Ajuste suas prioridades. A melhor pergunta, a pergunta muito mais significativa, seria: O ser humano é oco? Sim, ele é oco. 

Você pergunta: "Existe uma civilização vivendo lá?"

Sim, digo que existe um ser avançado vivendo dentro de você. Você é oco, e no âmago mais íntimo de seu ser, Deus está vivendo. O mais elevado está vivendo em você; por que se preocupar com a Terra? Mesmo se pessoas estiverem vivendo lá, elas não podem ser muito diferentes das pessoas da superfície. Você já não está farto dessas pessoas? Talvez elas tenhas três olhos, quatro orelhas e seis mãos, mas que diferença faz isso? 

Você pergunta: "Há um sol no centro?"

O sol está no seu centro. É isso que estou chamando de Buda — a luz. 

Você pergunta: "Esses... fazem jornadas periódicas através de túneis a lugares específicos e revelam os segredos?"

Sim, muitas vezes, a partir de seu âmago mais profundo, mensagens vêm à sua consciência mais superficial. Muitas vezes segredos são revelados a você do centro da periferia. Mas, ao invés de procurar por isso, você se interessa em saber se a terra é oca? Se há um sol dentro? Se ela é habitada? Se há uma civilização avançada? E essas ficções mantém as pessoas ocupadas. Existem milhares de livros escritos sobre tais assuntos; e controvérsias reinam através dos séculos, e pessoas ficam brigando, argumentando, filosofando, especulando. E tudo isso é fútil

Tome cuidado com a tendência da mente de inventar mentiras, de sustentar mentiras; essa é a maneira de a mente se proteger contra a verdade. 

A verdade não precisa ser inventada; não se pode inventá-la e sim somente colocar-se disponível a ela. A verdade já está presente, já é o caso. Se você estiver em silêncio, se abandonou suas ficções, se abandonou todas as mentiras, se estiver despido, nesta nudez e silêncio a verdade será revelada. E a verdade liberta. 

Saia de todas estas histórias! E não estou dizendo que elas sejam verdadeiras ou não-verdadeiras; não estou dizendo nada sobre elas, não estou contra nem a favor. Estou simplesmente dizendo que elas são irrelevantes, que isso não importa. É infantilidade ficar interessado nessas coisas; elas são boas para crianças, que precisam de ficção e contos de fadas, mas não são para pessoas amadurecidas. 

A coisa mais importante para uma pessoa inteligente é saber quem ela é; tudo depende disso. Sem saber isso, todo conhecimento é palavreado, e você viveu, mas viveu em vão e perdeu a toda a oportunidade da vida. A vida é uma oportunidade para conhecer a si mesmo, é um desafio para conhecer a si mesmo, ela o provoca para conhecer a si mesmo. Mas criamos algumas outras curiosidades e nos tornamos tão envolvidos com elas que nos esquecemos da questão real. E existem milhares de questões que não são reais e você pode ficar perdido nesta multidão. 

E a questão real é a única questão: quem sou eu? Abandone todas as outras questões! Coloque sua total energia numa questão: quem sou eu? Deixe que esta questão se entranhe no âmago mais íntimo de seu ser — no oco de seu corpo, na consciência suprema dentro de você, no sol dentro de você. Devote tanto tempo quanto possível a essa única questão. O todo da religião depende dela; a religião nada mais é do que a resposta a esta única questão: quem sou eu? Ela não está preocupada com Deus, com céu e inferno, com vidas passadas e futuras, com a reencarnação e a teoria do carma. A religião real tem somente um único propósito e alvo: quem sou eu

E não dissipe sua energia em tais curiosidades. Mesmo que pessoas estejam lá, mesmo que você venha a saber que existam pessoas lá e que UFOs vêm do oco da terra, isso não o mudará e não o ajudará de maneira alguma.

Penetre no mistério que é você, penetre neste mistério. Deixe que isso se torne seu único trabalho na vida. Sabendo isso, tudo é sabido; sendo isso, você alcançou.

OSHO
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Quando você compreende, quando chega a saber,
então traz toda a beleza do passado de volta
e dá a esse passado o renascimento, renova-o,
de forma que todos os que o conheceram
possam estar de novo sobre a terra
e viajar por aqui, e ajudar as pessoas." (Tilopa)



"Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso." (11º Passo de NA)


"O Eu Superior pode usar algum evento, alguma pessoa ou algum livro como seu mensageiro. Pode fazer qualquer circunstância nova agir da mesma forma, mas o indivíduo deve ter a capacidade de reconhecer o que está acontecendo e ter a disposição para receber a mensagem". (Paul Brunton)



Observe Krishnamurti, em conversa com David Bohn, apontando para um "processo", um "caminho de transformação", descrevendo suas etapas até o estado de prontificação e a necessária base emocional para a manifestação da Visão Intuitiva, ou como dizemos no paradigma, a Retomada da Perene Consciência Amorosa Integrativa...


Krishnamurti: Estávamos discutindo o que significa para o cérebro não ter movimento. Quando um ser humano ESTEVE SEGUINDO O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO, e PASSOU por TUDO isso, e esse SENTIDO DE VAZIO, SILÊNCIO E ENERGIA, ele ABANDONOU QUASE TUDO e CHEGOU AO PONTO, à BASE. Como, então, essa VISÃO INTUITIVA afeta a sua vida diária? Qual é o seu relacionamento com a sociedade? Como ele age em relação à guerra, e ao mundo todo — um mundo em que está realmente vivendo e lutando na escuridão? Qual a sua ação? Eu diria, como concordamos no outro dia, que ele é o não-movimento.

David Bohn: Sim, dissemos que a base era movimento SEM DIVISÃO.

K: Sem divisão. Sim, correto. (Capítulo 8 do livro, A ELIMINAÇÃO DO TEMPO PSICOLÓGICO)


A IMPORTÂNCIA DA RENDIÇÃO DIANTE DA MENTE ADQUIRIDA
Até praticar a rendição, a dimensão espiritual de você é algo sobre o que você lê, de que fala, com que fica entusiasmado, tema para escrita de livros, motivo de pensamento, algo em que acredita... ou não, seja qual for o caso. Não faz diferença. Só quando você se render é que a dimensão espiritual se tornará uma realidade viva na sua vida. Quando o fizer, a energia que você emana e que então governa a sua vida é de uma frequência vibratória muito superior à da energia mental que ainda comanda o nosso mundo. Através da rendição, a energia espiritual entra neste mundo. Não gera sofrimento para você, para os outros seres humanos, nem para qualquer forma de vida no planeta. (Eckhart Tolle em , A Prática do Poder do Agora, pág. 118)