“Não se pode falar do oceano para um sapo do brejo — criatura de uma esfera mais acanhada. Não se pode falar de um estado isento de pensamento para um pedagogo; sua visão é demasiado restrita”. — Chuang Tzu

Nada existe de novo sob os céus


Tem-me sido dito por muitas pessoas aqui, na Europa, como também na Índia e na América, que o que eu digo não é novo. Nada existe de novo sob os céus. Porém, para todo o homem que descobre, que atinge, tudo é novo. Se, pois, nada encontrais de novo no que eu digo, a culpa não é minha, é culpa daqueles (se realmente for uma culpa) que nada têm de novo em si mesmos. Assim como cada dia se torna renovado e penetrante, assim como cada primavera é nova, assim também, se quiserdes encontrar algo novo, original, claro, diferente, precisais vós mesmos ser diferentes. Para algo novo descobrirdes, deve existir em vosso coração o desejo de romper com o que é antigo.

1ª Pergunta: Constantemente nos dizem que o que dizeis acerca da inutilidade das cerimônias, igrejas (inclusive a Igreja Católica Liberal), religiões, não se aplica ao momento presente, porém destina-se à Sexta sub-raça. Que dizeis acerca deste fato?

Krishnamurti: Quando tendes fome, adiais a hora de vossa refeição? Quando vos afogais, prestareis ouvidos a um home que vos diga: “Amanhã eu vos salvarei?” Quando estais em tristeza, postergais o obter alívio, nessa hora sufocante, por meio do esquecimento? Que fazeis em tais casos? Quando tendes fome, saís em busca de alimento. Se vos estais afogando, lutais para obter ar fresco e se vos achais em tristeza quereis que ela vos seja removida imediatamente. Expliquei outro dia o que entendo pelo momento eterno e, do meu ponto de vista, este momento eterno deveria ser a preocupação de todos e não somente de uns poucos. Esta realização não é para o futuro, precisais obtê-la agora. Que valor terá ela no futuro? Quem dela se beneficiará? Nem vós mesmos nem vosso próximo.

Não quereis todos vós ser livres? Livres da tristeza, do constante aguilhoar da desgraça, AGORA? De que vale olhar para o futuro? Tendes que solver vossos problemas agora, tendes que viver agora, tendes que lutar agora em vossa vida diária. Tendes que alterar as circunstâncias que vos rodeiam agora. Tendes que limpar a floresta e abrir caminho agora,  não no futuro. O futuro será sempre futuro se não fizerdes as alterações agora. O futuro será sempre um mistério se não dominardes o presente. Vossa dificuldade é a de não saberdes que sois prisioneiros. Quando estais em tristeza — tristeza real —, não vos servis dessa tristeza para derrubar as paredes que criam outras tristezas? É o AGORA que importa: o modo pelo qual viveis, o modo pelo qual vos comportais, o modo pelo qual amais as outras pessoas, o modo pelo qual pensais a seu respeito. Que importa o que vireis a ser no futuro? Se não crescerdes ao máximo, agora, pelo vosso esforço sustido, o futuro iludir-vos-á sempre. Se não crescerdes agora para essa incorruptibilidade, construireis muros maiores, maiores barreiras, entre vós e o vosso atingir, e por meio delas criareis maiores limitações e maior tristeza.

Pensais que sois fracos, que dentro de vós não existe a força para vos suster em vossa integridade, imaginais que vos não podeis manter de pé por vós mesmos. Eu digo que podeis, se realmente o quiserdes, se tiverdes o formidável desejo de buscar a verdade, de procura-la, de raciocinar e lutar em prol dela e, por esse modo, estabelece-la dentro de vós — e precisais fazer isso AGORA, não no futuro. No futuro a treva e o mistério da morte vos esperam; assim, enquanto viveis, deveis vos preocupar com a vida, e alterar o curso dessa vida, despedaçando todas as barreiras, limitações, trivialidades, que existem entre vós e o vosso maior entendimento. Porque esperais pelo futuro e qual o valor de por ele esperardes? Porque modo o futuro vos há de proporcionar sua consecução, se não edificardes com grandeza, com vastidão, perigosamente, no momento presente? Vós matais o futuro por meio do presente . Esse futuro será sempre torcido, pervertido, se não viverdes no momento presente. Não posso conceber porque vos é tão difícil compreender o que vos estou dizendo. Que há nisso de tão complicado? Digo que ninguém, do exterior, vos pode proporcionar incorruptibilidade da mente e do coração e somente nessa incorruptibilidade reside a perfeição da vida, a beleza, a formosura, da qual cada um é parte. É tão simples, isto, que quereis complica-lo por meio de filosofias, sistemas, credos, religiões, igrejas, ritos. Como podereis viver com grandeza, com vastidão, com deleite, com beleza no futuro, se não lançardes o alicerce agora, se agora não viverdes nessa eternidade, com a vossa maior capacidade, com todo o vosso entusiasmo e ardor?

Se tendes fome, ides à procura de trabalho que vos proporcione dinheiro para comprar alimento. Não postergais a hora de comer, sais e lutais para satisfazer vossos anseios. Pelo fato de não possuirdes a ânsia real e ardente de encontrar a Verdade imediatamente, AGORA, é que existem todas essas complicações. O possuir essa incorruptibilidade do eu no momento presente, AGORA, é da maior e máxima importância. É somente AGORA que a podereis encontrar, e não no futuro. Ide a alguns dos bairros pobres de Londres ou de qualquer outra grande cidade e perguntai ao povo ali se quer ser provido de alimento, conforto, luz, no futuro.

Vós todos vos encontrais muito confortáveis em vossas mentes e corações, bem como fisicamente também. Estais satisfeitos e estagnados e, no entanto, quereis a verdade, que não provem da satisfação e da estagnação.       


Krishnamurti, 7 de agosto de 1929, Acampamento de Ommen 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Quando você compreende, quando chega a saber,
então traz toda a beleza do passado de volta
e dá a esse passado o renascimento, renova-o,
de forma que todos os que o conheceram
possam estar de novo sobre a terra
e viajar por aqui, e ajudar as pessoas." (Tilopa)



"Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso." (11º Passo de NA)


"O Eu Superior pode usar algum evento, alguma pessoa ou algum livro como seu mensageiro. Pode fazer qualquer circunstância nova agir da mesma forma, mas o indivíduo deve ter a capacidade de reconhecer o que está acontecendo e ter a disposição para receber a mensagem". (Paul Brunton)



Observe Krishnamurti, em conversa com David Bohn, apontando para um "processo", um "caminho de transformação", descrevendo suas etapas até o estado de prontificação e a necessária base emocional para a manifestação da Visão Intuitiva, ou como dizemos no paradigma, a Retomada da Perene Consciência Amorosa Integrativa...


Krishnamurti: Estávamos discutindo o que significa para o cérebro não ter movimento. Quando um ser humano ESTEVE SEGUINDO O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO, e PASSOU por TUDO isso, e esse SENTIDO DE VAZIO, SILÊNCIO E ENERGIA, ele ABANDONOU QUASE TUDO e CHEGOU AO PONTO, à BASE. Como, então, essa VISÃO INTUITIVA afeta a sua vida diária? Qual é o seu relacionamento com a sociedade? Como ele age em relação à guerra, e ao mundo todo — um mundo em que está realmente vivendo e lutando na escuridão? Qual a sua ação? Eu diria, como concordamos no outro dia, que ele é o não-movimento.

David Bohn: Sim, dissemos que a base era movimento SEM DIVISÃO.

K: Sem divisão. Sim, correto. (Capítulo 8 do livro, A ELIMINAÇÃO DO TEMPO PSICOLÓGICO)


A IMPORTÂNCIA DA RENDIÇÃO DIANTE DA MENTE ADQUIRIDA
Até praticar a rendição, a dimensão espiritual de você é algo sobre o que você lê, de que fala, com que fica entusiasmado, tema para escrita de livros, motivo de pensamento, algo em que acredita... ou não, seja qual for o caso. Não faz diferença. Só quando você se render é que a dimensão espiritual se tornará uma realidade viva na sua vida. Quando o fizer, a energia que você emana e que então governa a sua vida é de uma frequência vibratória muito superior à da energia mental que ainda comanda o nosso mundo. Através da rendição, a energia espiritual entra neste mundo. Não gera sofrimento para você, para os outros seres humanos, nem para qualquer forma de vida no planeta. (Eckhart Tolle em , A Prática do Poder do Agora, pág. 118)